OBRAS INQUIETAS 59. “Esperança e Desesperança de Ángel Ganivet” (1977), Eduardo Arroyo

Estar vivo sentindo-se morto é o pior tipo de morte que existe: estamos no mundo, mas, ao mesmo tempo, não fazemos mais parte dele. A morte executou a sua sentença, mas esqueceu de nos buscar e, assim, os dias passam, … Continuar lendo OBRAS INQUIETAS 59. “Esperança e Desesperança de Ángel Ganivet” (1977), Eduardo Arroyo