OBRAS INQUIETAS 49. “O triunfo do Gênio da Destruição” (1878), Mihály Zichy

Destruir é mais simples do que criar. É muito mais difícil erguer um castelo de dentro do sonho do que colocar as suas paredes abaixo, imersas em fogo, ruínas e amargura. Para cada pessoa que se anima a criar, existe … Continuar lendo OBRAS INQUIETAS 49. “O triunfo do Gênio da Destruição” (1878), Mihály Zichy

OBRAS INQUIETAS 48. “Espalhados por toda a parte” (1864), Alexander ver Huell

O homem caminha com pressa, evitando olhar para os lados. Cobre o rosto, com receio de revelar o permanente ricto de terror que vinca os seus lábios em um constante gemido. Eles estão por todos os lugares. Em cada esquina, … Continuar lendo OBRAS INQUIETAS 48. “Espalhados por toda a parte” (1864), Alexander ver Huell

OBRAS INQUIETAS 47. “A lição de anatomia do Dr. Frederik Ruysch” (1714), Jan van Neck

Um corpo não passa de um aglomerado de órgãos, músculos e sangue impulsionados por um espírito. Por favor, esqueçam o horror enquanto presenciam a curiosidade quase sádica dos homens ao redor da mesa, para quem o cadáver da criança é … Continuar lendo OBRAS INQUIETAS 47. “A lição de anatomia do Dr. Frederik Ruysch” (1714), Jan van Neck