OBRAS INQUIETAS 29. “Estátua suméria de casal diante de Deus”, Anônimo (c. 2600 a. C.)

“Estátua suméria de casal diante de Deus”, Anônimo (c. 2600 a. C.) Contemple o vosso Deus e estremeça, verme. Fique diante do Impossível; sinta a presença queimar o mundo, eviscerar as suas memórias, preencher o universo com um canto de … Continuar lendo OBRAS INQUIETAS 29. “Estátua suméria de casal diante de Deus”, Anônimo (c. 2600 a. C.)

OBRAS INQUIETAS 24. “Garota comendo pássaro (O prazer)”, 1927, René Magritte

“Garota comendo pássaro (O prazer)”, 1927, René Magritte A liberdade é quente e tem o gosto pastoso de sangue. Nas mãos da assassina, impregnadas de fúria contida, o pássaro agoniza em espasmos de dor, a vida se esvaindo em penas … Continuar lendo OBRAS INQUIETAS 24. “Garota comendo pássaro (O prazer)”, 1927, René Magritte

OBRAS INQUIETAS 21. “Retrato de Varya Adoratskaya” (1914), Nicolai Fechin

“Retrato de Varya Adoratskaya” (1914), Nicolai Fechin Existiu uma época em que o mundo era um local incrível: cheio de novidades, de luzes, de sons estranhos que tentávamos transformar em imagens, de sabores esdrúxulos que agradavam ou repudiavam ao paladar. … Continuar lendo OBRAS INQUIETAS 21. “Retrato de Varya Adoratskaya” (1914), Nicolai Fechin

OBRAS INQUIETAS 20. “Os síndicos da guilda de ourives de Amsterdam” (1627), Thomas de Keyser

“Os síndicos da guilda de ourives de Amsterdam” (1627), Thomas de Keyser Estamos sendo observados. Mesmo que não conseguimos ver, eles estão lá. Não importa o local ou o tempo, sempre existe alguém a nos analisar, a medir nossos passos … Continuar lendo OBRAS INQUIETAS 20. “Os síndicos da guilda de ourives de Amsterdam” (1627), Thomas de Keyser