A questão de o que é a fidelidade no filme ‘Canon: Fidelidad ao límite’

Canon. É importante que esse nome seja dito antes de adentrarmos ao restante da película a ser desnudada. Canon: Fidelidad ao límite. O filme do diretor  Mauricio Walerstein traz ingredientes quentes. Ademais, é ambientado no México. Um local que traduz bem a sensualidade da … Continuar lendo A questão de o que é a fidelidade no filme ‘Canon: Fidelidad ao límite’

Bella Ciao: A canção revolucionária que virou trilha da série “La Casa de Papel”

Uma mattina, mi son’svegliato, e ho deciso di scrivere su della canzone “Bella Ciao”. Bom, creio que muita gente já conhece, já escutou, ou ao menos já ouviu falar sobre a belíssima canção popular “Bella Ciao”. Sua origem exata é … Continuar lendo Bella Ciao: A canção revolucionária que virou trilha da série “La Casa de Papel”

OBRA DE ARTE DA SEMANA: O símbolos em ‘O Pecado Original’ de Hugo van der Goes

Hugo van der Goes, O Pecado Original, óleo sobre painel de madeira, 33,8 x 21,9 cm, perto de 1479 (parte do Díptico do Pecado Original e da Deposição da Cruz ou A Queda e a Redenção do Homem). Conservado no … Continuar lendo OBRA DE ARTE DA SEMANA: O símbolos em ‘O Pecado Original’ de Hugo van der Goes

Desejo e religião no filme ‘Chocolate’ de Lasse Hallström

“Come chocolates, pequena; Come chocolates! Olha que não há mais metafísica no mundo senão chocolates. Olha que as religiões todas não ensinam mais que a confeitaria. Come, pequena suja, come! Pudesse eu comer chocolates com a mesma verdade com que … Continuar lendo Desejo e religião no filme ‘Chocolate’ de Lasse Hallström

OBRA DE ARTE DA SEMANA: ‘A Impossibilidade Física da Morte na Mente de Alguém Vivo’, de Damien Hirst

Damien Hirst, The Physical Impossibility of Death in the Mind of Someone Living (A Impossibilidade Física da Morte na Mente de Alguém Vivo), vidro, aço pintado, silicone, monofilamento, tubarão e solução de formaldeído, 217 x 542 x 180 cm, 1991. … Continuar lendo OBRA DE ARTE DA SEMANA: ‘A Impossibilidade Física da Morte na Mente de Alguém Vivo’, de Damien Hirst