Metas literárias

Metas literárias – você já fez a sua desse ano?

Dentre as diversas promessas que costumam ser feitas a cada novo ano, as metas literárias figuram nas listas de poucas pessoas. Uma pena que assim seja, tanto pelo próprio desinteresse na leitura, como também por ser uma das metas mais factíveis que podem ser cumpridas a contento. Diferente daquelas promessas que muitas vezes não duram sequer o verão, mas que ainda assim insistem em permanecer nos propósitos de todo ano novo, as metas literárias são planos razoáveis em que pouco se exige daquele que se candidata a cumpri-los.

As metas literárias podem ser feitas por qualquer pessoa – desde os que não são habituados com a leitura até os mais apaixonados pelos livros. Basta se propor a dar um passo além do estado atual no âmbito literário. As promessas desse tipo podem receber contornos de mudanças práticas, que acabam ensejando na adoção de novos hábitos, ou ainda simplesmente constituírem uma espécie de desafio jocoso.

Para alguém que não é habituado a ler, por exemplo, estabelecer uma meta de ler tantos livros por mês seria um algo não razoável, pois a chance de uma promessa do tipo correria o sério risco de ser descumprida, resultando num fracasso parecido com aquele dos exercícios físicos diários que não chegam a preencher um mês. Ainda assim, se for considerar que, nesse caso, a meta inalcançável acaba levando aquele que fez a promessa a ler sete livros no ano, por exemplo, ter-se-ia aí um considerável avanço para quem nada lia antes de estabelecer a meta. O resultado, mesmo que não tenha se dado pelo alcance do desafio, acaba sendo muito proveitoso. É alguém que passou a ler.

Dentro de uma proposta alcançável, aqueles que não costumam ler podem estabelecer metas mais condizentes com a própria situação. Um livro por mês, ou um a cada dois meses, por exemplo, é uma empreitada tranquila para ser cumprida. Ao final do ano, ao menos mais de dez livros terão sido lidos. Um novo leitor que se fez a partir de uma meta palpável.

Há também as metas que são estabelecidas por aqueles que já são leitores frequentes. A empreitada, para esses, pode visar tanto um aumento quantitativo nos livros a serem lidos, como também seguir os mais variados critérios que erigem as listas com diversos desafios.

Tomemos como exemplo o caso daquele que quer aumentar a quantidade de livros lidos. Se no ano que passou a pessoa leu vinte livros, o número poderia ser estabelecido como três livros por mês a serem lidos. O hábito da leitura já se tem, bastando aumentar sua frequência para que a meta possa ser alcançada. Não seria muito difícil.

Para além dessas hipóteses, existem diversas metas literárias a serem desbravadas. Cada uma possui sua particularidade, sua própria razão de ser, sua própria pretensão. São listas divertidas que costumam ser adotadas por muitos leitores ávidos pelo desafio. As metas são muitas e das mais variadas.

Os exemplos são os mais diversos. Por exemplo, são itens de algumas das várias listas que constituem metas literárias a serem cumpridas no respectivo ano: ler um livro cujo autor possua as mesmas iniciais que o nome do leitor; ler o livro de um autor que nasceu no mesmo ano do leitor; ler o livro de um conterrâneo; ler um Nobel; ler um livro com mais de mil páginas; ler um livro de determinada autora; ler o livro de um autor de determinada nacionalidade; ler um livro em específico; reler algum clássico; ler o livro de algum gênero que nunca tenha lido; ler um livro totalmente aleatório; e por aí vai.

As possibilidades são diversas. As metas literárias podem ser constituídas pelos mais variados tipos de desafio. Algumas listas não se restringem ao aspecto da leitura, incluindo também questões que dizem respeito à escrita ou a conduta do leitor (resenhar tantos livros, comprar mais livros desse ou daquele tipo, organizar a estante…). Vale tudo. O limite vai até o ponto em que a criatividade permitir, desde que, claro, seja factível. Ainda assim, conforme se apontou no início do texto, as propostas inalcançáveis acabam surtindo efeitos salutares, afinal, por mais que não se consiga cumprir com toda a lista traçada na meta literária, várias leituras serão as consequências dessa tentativa.

E no caso de não se conseguir concluir todas as leituras estabelecidas na meta literária? Não há problema! As pendências podem ser reformuladas, ou ainda incluídas na lista do ano seguinte como forma de compensação. No final, com meta ou sem meta, o que importa mesmo é que a leitura esteja sempre presente!


Fonte da imagem:

https://contudoeentretanto.com.br/wp-content/uploads/2018/02/bullet3-c%C3%B3pia-1.jpg

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s