OBRA DE ARTE DA SEMANA: Retrato equestre de Don Francesco Moncada de Antoon Van Dyck

Antoon Van Dyck, Retrato equestre de Don Francesco Moncada, óleo sobre tela, 305x242cm, 1634-1635. Conservado no Museu do Louvre, Paris, França. Quando olhamos a tela de Van Dyck, vemos um homem em um cavalo branco sair do bosque e vir … Continuar lendo OBRA DE ARTE DA SEMANA: Retrato equestre de Don Francesco Moncada de Antoon Van Dyck

OBRAS INQUIETAS 20. “Os síndicos da guilda de ourives de Amsterdam” (1627), Thomas de Keyser

“Os síndicos da guilda de ourives de Amsterdam” (1627), Thomas de Keyser Estamos sendo observados. Mesmo que não conseguimos ver, eles estão lá. Não importa o local ou o tempo, sempre existe alguém a nos analisar, a medir nossos passos … Continuar lendo OBRAS INQUIETAS 20. “Os síndicos da guilda de ourives de Amsterdam” (1627), Thomas de Keyser

OBRAS INQUIETAS 19. “Mulher junto à janela acenando para uma menina” (1650), Jacobus Vrel

“Mulher junto à janela acenando para uma menina” (1650), Jacobus Vrel Atrás de cada espelho, uma criatura espreita a nossa vida com seus olhos de líquido cristal. Ela é formada por todas as nossas desilusões, por palavras não ditas no … Continuar lendo OBRAS INQUIETAS 19. “Mulher junto à janela acenando para uma menina” (1650), Jacobus Vrel

OBRAS INQUIETAS 08. “Agnus Dei” (1635-1640), Francisco de Zurbarán

“Agnus Dei” (1635-1640), Francisco de Zurbarán Eu sou aquele que vai morrer por causa dos seus pecados. Não fiz nada, mas, apesar disso, virei a materialização ainda pulsante e quente dos seus erros. É bom ter alguém a quem culpar, … Continuar lendo OBRAS INQUIETAS 08. “Agnus Dei” (1635-1640), Francisco de Zurbarán

OBRA DE ARTE DA SEMANA: Uma cena da vida quotidiana em óleo sobre cobre por Adriaen van Ostade

Adriaen van Ostade, Camponeses, cena de interior, óleo sobre cobre, 37 x 47 cm, 1661. Conservada no Rijksmuseum, em Amsterdã, Holanda. Adriaen van Ostade nasceu em 1610, em Haarlem, Holanda, onde ele morre em 1685. Aluno de Frans Hals, foi … Continuar lendo OBRA DE ARTE DA SEMANA: Uma cena da vida quotidiana em óleo sobre cobre por Adriaen van Ostade