Citações literárias descontextualizadas

As citações fora do contexto são um problema em todo e qualquer campo. Pode ser por descuido ou ardilosamente intencional, mas uma citação descontextualizada sempre acarreta em problemas. Seja de forma mais amena ou mais grave, a problemática que surge desse tipo de situação muitas vezes se faz presente pela ausência de cautela daquele que faz determinada citação. Claro que em certas situações a culpa pode ser lançada contra o leitor, quando, por exemplo, faz uma leitura superficial ou descuidada do todo em que a citação está inserida. Ainda assim, o zelo merece estar com mais esmero no escritor ou no falante quando do ato da citação, ou seja, no citador.

O mote que deve conduzir a questão é o de evitar incompreensões. Para tanto, inicialmente deve aquele que realizará a citação ter em mente a responsabilidade que possui. Não é muito difícil, por equívoco ou pretensiosamente, incorrer no erro de não se entender de fato o sentido original do contexto do todo de onde a citação foi extraída, tendo ou não ciência disso, e proceder o ato de citar aquele determinado trecho de modo deturpado, ensejando assim, possivelmente, na transmissão da própria incompreensão do citador para aquele que lê ou ouve essa apenas parte do todo.

Como dito, isso é um problema que ocorre em diversas situações. A academia é um bom exemplo disso. Um pesquisador pode realizar a citação de algo em seu trabalho que não traduz exatamente aquilo que intencionou dizer o autor citado. A origem disso pode ser explicada a depender da situação anterior que deu ensejo a esse imbróglio, sendo diversas as possíveis explicações: incompreensão do pesquisador sobre a mensagem que buscou passar o autor citado; preguiça em se fazer uma imersão naquilo que está sendo pesquisado e de onde se extrai a citação (o pesquisador lê apenas algumas páginas de uma fonte bibliográfica enquanto deveria ler o todo); atitude ardil do pesquisador em propositalmente gerar uma incompreensão a partir de uma citação descontextualizada.

Outro exemplo ilustrativo dessa questão pode ser observado nas redes sociais. Compartilhar citações nas redes é um tipo de mania que contagia, encanta e convence – tanto o citador como o leitor. Quem é que não gosta de publicar uma frase de efeito, ainda mais quando dita por alguém de renome? Quem nunca escreveu uma citação isolada por ter sido seduzido por aquela mensagem e pretendido propagar a frase? Quem é que não aprecia ler aquelas pequenas frases galantes, ditas por gente importante, que carregam em si uma espécie de ensinamento? Não só nas redes sociais esse fenômeno é visto, como também em todo e qualquer lugar.

Com as citações que constituem aquelas frases que foram construídas justamente com o intuito de se transmitir algo de maneira reduzida, concisa ou resumida, não há um problema. O engodo surge a partir do momento em que isso é feito de maneira descuidada.

Vejamos um exemplo no campo literário. A citação abaixo é de Stephen King:

A esposa, cuja doce resposta diante de qualquer tipo de problema seria: O que você achar melhor, querido. Mulheres, prestem atenção: uma esposa como essa nunca precisaria temer sangrar pela garganta até a morte.

Pesado, não!? Percebam como é fácil deturpar um texto, uma mensagem, uma história, um artigo, uma ideia, pior, um autor. Pela frase acima transmitida dessa forma, solta, desprendida de seu contexto, um leitor poderia ser levado a acreditar que, em algum momento de sua vida, Stephen King defendeu a submissão das mulheres no casamento, e que não haveria problema algum que essa subalternidade fosse adquirida através do medo.

Obviamente, não se trata de nada disso. O trecho acima foi retirado do conto “1922”, presente no livro “Escuridão total sem estrelas” do mencionado escritor. A frase está inserida na fala do personagem protagonista da história e que efetua a narrativa. Num conto típico de Stephen King, tem-se um homem que, para evitar perder suas terras e ter de se mudar para a cidade, mata a própria esposa ao cortar sua garganta. É em um dos vários momentos de autorreflexão do protagonista sobre o episódio criminoso que o trecho em comento é elaborado. A fala de um personagem. Apenas isso.

Do exemplo exposto, pode-se imaginar a quantidade de absurdos que podem ser produzidos mediante citações descontextualizadas. Percebam que no campo literário esse fenômeno merece estrito cuidado, pois as mensagens que busca (ou não) o autor transmitir em determinados contos, romances, novelas, crônicas e afins, estão presentes em muitas das vezes nas falas das personagens presentes na história. É delas que se extraem muitas das citações que ganharão notoriedade e acabarão sendo compartilhadas nas redes sociais, fazendo ou não jus àquilo que pretendeu transmitir o autor daquela frase.

Em termos de citações literárias, todo cuidado é pouco. A contextualização da parte com o todo é medida necessária a ser tomada a fim de se evitar incongruências, incompreensões ou até mesmo injustiças para com as personagens, as histórias e seus autores.


BIBLIOGRAFIA CONSULTADA:

KING, Stephen. Escuridão total sem estrelas. Rio de Janeiro: Objetiva, 2015. p. 84


Fonte da imagem:

 https://i0.wp.com/www.revistabula.com/wp/wp-content/uploads/2014/08/Livros.jpg?resize=610%2C350

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s