10 grandes mulheres da fotografia

Março é o mês em que se destaca a força, as lutas e as conquistas das mulheres por espaço e direitos iguais¹. Nós, mulheres, crescemos dentro de moldes impostos pela sociedade patriarcal² que enrijecem nossas possibilidades de fazer algo diferente daquilo que o homem espera; felizmente, graças às lutas de bravas mulheres, esse quadro vem sendo transformado para que a igualdade de gênero seja, um dia, alcançada. Nesta semana dedicada às mulheres e aos amantes da força feminina, trazemos a vocês um pouco da história e/ou trabalho de grandes mulheres. E aqui, dez marcantes mulheres da fotografia:

  1. ALICE AUSTEN

Alice Austen nasceu no dia 17 de março de 1866, em Rosebank, Nova Iorque, EUA, e seu interesse pela fotografia começou no ano de 1876, quando seu tio Oswald Müller trouxe uma câmera fotográfica alemã de uma de suas viagens, que deixou sob os cuidados da pequena Alice. A menina encantou-se com o objeto, que se tornou seu hobby e de onde saiu seu sustento para os últimos anos da vida. Alice anotava em cada fotografia a placa e a lente que usava, o tempo de exposição da luz e as condições de iluminação, a abertura e a distância focal da lente, o assunto e a data; assim, com o tempo, a norte-americana pode ir corrigindo seus erros e aperfeiçoar cada vez mais suas fotografias. Suas fotografias pendem para o realismo e o fotojornalismo, sendo considerada uma das primeiras mulheres a sair na rua fotografando.

Site da fotógrafa: http://aliceausten.org

  1. CARRIE MAE WEEMS

Carrie Mae Weems nasceu no dia 20 de abril de 1953, em Portland, Oregon, EUA. Fotógrafa contemporânea e mulher negra, Carrie gosta de trabalhar com temas de impacto e que gerem reflexão, como relações de gênero, racismo, identidade cultural e política.

Site da fotógrafa: http://carriemaeweems.net

  1. CLÁUDIA REGINA

Claudia Regina, nascida em Curitiba, Paraná, BRA. Fotógrafa contemporânea e feminista, Cláudia é contra o sexismo, a edição e montagem em fotografias. Ela gosta de trabalhar com pessoas reais em situações reais, e não pessoas enquadradas em padrões moldados pela sociedade e cultura machistas – onde as mulheres usam acessórios que as deixem mais atraente e são retocadas antes e depois das fotografias para terem uma tez e um corpo “perfeito”. Cláudia diz buscar captar a essência das mulheres, sem tabus.

Blog da fotógrafa: http://blog.claudiaregina.com/

  1. CONSTANCE TALBOT

Constance Talbot nasceu no ano de 1811, em Derby, East Midlands, ING. Sua importância para a fotografia vai além dos registros fotográficos. A britânica ajudou o marido, Fox Talbot, a desenvolver papéis fotossensíveis e, posteriormente, aumentar a sensibilidade dele à luz. Constance não é conhecida por suas fotografias, mas pode ter sido uma das primeiras mulheres a usar uma câmera. Uma fotografia feita por ela, cujo negativo ainda existe, trata-se de um arranjo de letras que ela montou em frente à câmera fotográfica que citavam um verso do poeta irlandês Thomas Moore.

  1. DIANE ARBUS

Diane Arbus nasceu no dia 14 de março de 1923, em Nova Iorque, Nova Iorque, EUA. Suas fotografias não se destacam pela técnica e, sim, pelo conteúdo. Diane, que antes fotografava com o marido, Allan Arbus, começou a carreira solo no final dos anos 50. Saía pelas ruas e visitava necrotérios, hospitais psiquiátricos, hotéis negligenciados, circos e outros lugares peculiares. Nesses espaços, a norte-americana fotografava – sempre em preto e branco – anões, travestis, homossexuais, transexuais, hermafroditas, nudistas, prostitutas e outras pessoas marginalizadas pela sociedade.

  1. EVE ARNOLD

Eve Arnold nasceu no dia 4 de abril de 1912, na Filadélfia, Pensilvânia, EUA. Eve viveu quase cem anos, dos quais mais de cinquenta foram dedicados à fotografia. Foi uma das precursoras do fotojornalismo e, tendo nascido numa família de imigrantes judeus russos, voltava seus olhos para aqueles que, como ela, eram oprimidos. Seu trabalho chamou a atenção do famoso fotojornalista francês Henri Cartier-Bresson, fazendo com que Eve fosse a primeira mulher a ingressar na agência Magnum³ – da qual Henri era co-fundador. Eve foi destacando-se por retratar pessoas de todas as classes sociais em seus momentos mais íntimos – quando esboçavam um sorriso, enquanto davam um suspiro de lamento, num momento de esgotamento físico e por aí vai. Após anos trabalhando com esses retratos – sendo seu trabalho de maior destaque os feitos com a atriz Marilyn Monroe –, Eve resolveu viajar pelo mundo fotografando e experimentando a fotografia colorida. Passou por países como Afeganistão, África do Sul, China, Mongólia, Rússia, registrando suas tradições e peculiaridades.

Portfolio da fotógrafa: https://pro.magnumphotos.com/C.aspx?VP3=CMS3&VF=MAGO31_10_VForm&ERID=24KL53ZGM6

  1. GIOCONDA RIZZO

Gioconda Rizzo nasceu no ano de 1897, em São Paulo, São Paulo, BRA. A fotógrafa, que viveu mais de cem anos, é considerada a primeira mulher brasileira a ter feito registros fotográficos profissionais no país, abrindo seu próprio estúdio em 1914 para fazer retratos. Começou a fotografar aos 14 anos de idade, tendo o pai, que já possuía um ateliê, como inspiração. As fotografias de Gioconda surpreenderam o público, pois ela fazia retratos que mostravam apenas do ombro para cima, sendo que, na época, os retratos eram feitos de corpo inteiro, com a pessoa sentada ou em pé.

  1. INGE MORATH

Inge Morath nasceu no dia 27 de maio de 1923, em Graz, AUT. A fotógrafa foi a segunda mulher a compor a agência Magnum, indicada pelo editor Warren Trabant, tendo destaque no fotojornalismo. A austríaca, que fez alguns cursos de jornalismo, escrevia e fotografava durante e depois da Segunda Guerra Mundial. Passada essa época e trabalhando em função da agência Magnum, Inge viajava muito para realizar trabalhos fotográficos de artes cênicas, moda e indústria.

Site da fotógrafa: http://ingemorath.org/

  1. MARGARET BOURKE-WHITE

Margaret Bourke-White nasceu dia 14 de junho de 1904, no Bronx, Nova Iorque, EUA. Ela era uma mulher de sorte para sua profissão, pois tinha o dom de ser atraída para registrar fatos históricos. Fotografou celebridades e atos políticos, como a partição da Índia e Paquistão, o Apartheid na África do Sul, a Guerra da Coreia, Mohandas K. Gandhi minutos antes de seu assassinato na Índia, a situação de países que estavam sob os regimes nazistas ou comunistas, entre muitos outros. Também fotografou fenômenos climatológicos, como a tempestade de areia nos Estados Unidos, chamada Dust Bowl. Além de ser pioneira em muitos ramos do seu trabalho, como ser a primeira mulher no cargo de fotojornalista na revista LIFE – onde, inclusive, já teve uma fotografia na capa – e na revista Fortune, além de ser a primeira fotógrafa ocidental a ter permissão para registrar o território soviético na década de 30 e ser a primeira mulher a receber autorização para registrar zonas de combate na Segunda Guerra Mundial – o que, também, fez dela a primeira correspondente de guerra do sexo feminino. Além dos registros fotojornalísticos, Margaret fotografava as particularidades das mulheres pelos lugares onde passava.

  1. NAIR BENEDICTO

Nair Benedicto nasceu no ano de 1940, em São Paulo, São Paulo, BRA. Formada em Rádio e Televisão, trabalhou com fotojornalismo, tendo publicações em várias revistas nacionais e internacionais. Como fotógrafa e feminista, Nair procura ressaltar a vida real das mulheres, bem como de outros grupos de pessoas que sofrem repressão ou são negligenciados. Em parceria com outros três fotógrafos, a paulistana fundou, no ano de 1979, uma das primeiras agências de fotografia do Brasil, chamada F4, que veio a fechar no ano de 1991. Ela é uma mulher importante para a história da fotografia no Brasil, pois participou da luta pelos direitos autorais e trabalhistas dos fotógrafos.

            Fazer uma seleção de apenas 10 grandes mulheres da fotografia não foi uma tarefa fácil, pois nas minhas leituras encontrei muitas mulheres incríveis. Todavia procurei trazer aqui 10 mulheres que se destacaram pela sua coragem, ousadia e criatividade, mulheres que buscam quebrar padrões e estereótipos; mulheres que lutam e que nos motivam a continuar nessa luta – a luta por igualdade –, porque cada sexo e cada indivíduo têm a sua particularidade e exatamente por isso o respeito é um direito e um dever de todos.

¹ O dia 08 de março é internacionalmente conhecido como o Dia da Mulher, isso se deve ao fato de que neste mesmo dia, no ano de 1911, algumas mulheres e funcionárias de uma fábrica têxtil norte-americana entraram em greve, reivindicando melhores condições e tratamento igualitário entre homens e mulheres no trabalho. Poucos dias depois dessa manifestação, houve um incêndio na fábrica que causou a morte de 146 funcionários, dos quais 125 eram mulheres. Então, em 1977, a ONU declarou o dia 08 de março como o Dia Internacional da Mulher, homenageando as lutas feministas.

² Sociedade patriarcal é o nome que se dá à hierarquização sexista que coloca o homem como superior a mulher e que, por isso, dá a ele o ‘direito’ chefiar e guiar o caminho daquelas que dele ‘dependem’.

³ A agência Magnum é uma das mais célebres agências de fotografia do mundo, fundada em 1947 por quatro renomados fotógrafos, que são o francês Henri Cartier-Bresson, o húngaro Robert Capa, o britânico George Rodger e o polonês David Seymour.

Referências das fotografias e texto:

Alice Austen

http://aliceausten.org

Carrie Mae Weems

http://carriemaeweems.net

http://en.wikipedia.org/wiki/Carrie_Mae_Weems

http://www.jackshainman.com/artists/carriemae-weems/

Cláudia Regina

http://iphotochannel.com.br/fotografia-de-nu-e-sensual/retratos-fora-do-padrao-de-claudia-regina

https://ceciliafotografia.wordpress.com/2016/05/14/claudia-regina/

https://papodehomem.com.br/mulher-careca

Constance Talbot

http://foxtalbot.bodleian.ox.ac.uk/2016/09/16/thomas-moore-the-ladies-of-lacock/

http://www.luminous-lint.com/app/photographer/Constance__Talbot/A/

Diane Arbus

http://encenasaudemental.net/personagem/uma-ou-duas-coisas-que-sei-sobre-diane-arbus/

http://lounge.obviousmag.org/tao_legal/2014/09/alem-dos-olhos-de-arbus.html

http://www.fhox.com.br/portfolio/retrato/diane-arbus-fotografias-excentricas-e-de-grande-impacto/

http://www.lomography.com.br/magazine/170769-best-of-the-best-diane-arbus

Eve Arnold

http://lounge.obviousmag.org/vitor_dirami/2012/02/eve-arnold-historias-atraves-da-fotografia.html

http://www.anothermag.com/art-photography/7208/eve-arnold-her-extraordinary-life-in-pictures

Gioconda Rizzo

http://historiasdolivro.com.br/gioconda-rizzo-pioneirismo-na-fotografia-no-brasil/

http://jornalmulier.com.br/mulheres-tem-importante-papel-na-historia-da-fotografia-e-do-fotojornalismo-no-ocidente/

http://photos.com.br/o-retrato-da-ousadia/

Inge Morath

http://ingemorath.org/

https://pro.magnumphotos.com/C.aspx?VP3=CMS3&VF=MAGO31_10_VForm&ERID=24KL53Z47M

https://www.theguardian.com/artanddesign/2006/nov/20/photography.usa

Margaret Bourke-White

http://revistaold.com/blog/margaret-bourke-white-1904-1971-no-lugar-certo-na-hora-certa/

https://nitidafotografia.wordpress.com/2015/12/08/margaret-bourke-white/

https://www.gallerym.com/pages/margaret-bourke-white-biography

https://www.infopedia.pt/$margaret-bourke-white

Nair Benedicto

http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa17657/nair-benedicto

http://povosindigenas.com/nair-benedicto/

http://www.funarte.gov.br/brasilmemoriadasartes/acervo/infoto/biografia-de-nair-benedicto/

http://www.redebrasilatual.com.br/revistas/80/perfil

Foto da capa

http://agentedainternet.com.br/fotografa-sao-paulo-rsal-1-87500/ (com edição)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s