12 sapatos para 12 amantes – Uma coleção conceitual de Sebastian Errazuriz

O designer chileno radicado em Nova Iorque Sebastian Errazuriz criou uma série – 12 Shoes for 12 Lovers, no idioma original – de esculturas inusitada que representa o temperamento e a relação com doze de suas ex-amantes na forma de pares de sapato femininos.  O termo aqui é “escultura”, pois na verdade os modelos são somente para exposição, não tendo sido produzidos em massa, e ao que tudo indica infelizmente jamais serão.

As formas mais diversas e suas decorações foram permitidas graças à impressão 3D realizada pela marca brasileira Melissa dos desenhos digitais do artista.

Os exemplares já foram mostrados em vários museus e exposições importantes, inclusive na badalada feira de arte Art Basel Miami Beach – edição anual americana de uma das maiores feiras do segmento originária da cidade Basiléia, Basel em alemão e inglês, na Suíça.

Além de um texto sobre a garota que o inspirou – com seu nome mudado para proteger sua identidade – e seu relacionamento com o designer, os sapatos também foram acompanhados de uma foto ilustrando sua musa. Dessa forma, tornando publico uma esfera extremamente privada de sua vida e de certa forma, também parte da vida das mulheres nas quais baseou o conceito.

A ideia me lembrou bastante o Museum of Broken Relationships  – algo como Museu dos Relacionamentos Terminados sobre o qual já escrevi – link aqui – que conta com uma sede em Zagreb, na Croácia, além de exposições itinerantes pelo mundo, onde pessoas anônimas doam objetos icônicos de seus relacionamentos despedaçados acompanhados por um texto, poema ou uma simples frase. De álbuns de casamento até machados.

Coragem? Exibicionismo? Homenagem? Sublimação? Segundo o designer, a série na verdade explora o tema do amor e do sexo, e expõe as contradições absurdas que desafiam os preceitos do dia-a-dia, além de refletir sobre tabus e temas controversos.

Seja qual for a motivação real e seu impacto nos espectadores, a série é fantasticamente linda e fruto de uma mente criativa genial.

Veja imagens da série completa acompanhada da tradução dos textos em português:

Sapato1. “Mel” Natasha

 

NATASHA tirou sua jaqueta e se ajoelhou ao lado da cama.
“seb, eu fiz cookies para você!”

…ela tirou sua camiseta,
– “coitadinho, como vai sua perna quebrada?”
-“ainda dói um pouco” eu sorri timidamente fingindo estar com dor.
-“posso fazer algo” ela sorriu ficando em uma perna só enquanto tirava seu jeans.

ela tinha um corpo louco.
nós fodemos.
ela cozinhou.
ela limpou.
quando eu dormi, ela saiu e me deixou um cookie na cama
desenhou um coraçãozinho na minha parede e silenciosamente foi pra casa.

NATASHA cuidou de mim enquanto eu estava de cama me recuperando;
nunca conheci nenhuma garota tão feliz por cuidar de um cara.

assim que eu me recuperei eu terminei.
eu não podia me acostumar a ser tratado tão bem.

 

Sapato2. “Chore Babe” Alexandra


ALEXANDRA apareceu na minha porta chorando.

Estava chovendo. Ela estava ensopada, tremendo.

-“seb, posso dormir com você hoje?”

Ela balbuciou algo sobre ter terminado com seu “namorado cuzão”. Ela tomou um banho quente enquanto eu fiz sopa para ela.

ALEXANDRA parecia feliz de novo. Ela me olhou carinhosamente e pulou em mim.
Beijando, e mordendo, eventualmente empurrando e estapeando, em segundos nós estávamos fazendo um fantástico sexo de reconciliação, do qual eu estava claramente me beneficiando por causa do seu “namorado cuzão”.

Nós nos deitamos exaustos, ela chorou chateada por ter terminado. eu a abracei, disse a ela que tudo ficaria OK, me sentindo estranho sobre estar na cama com uma garota chorando por outro cara.

No escuro, Alexandra continuou a soluçar e enviar mensagens para o seu ex pelo resto da noite.
eu fiz uma tentativa de outra rodada do quente “Sexo de reconciliação”, mas ela obviamente não poderia ligar menos para mim.

Ela não ligava para mais ninguém além do “namorado cuzão”.

 

Sapato3. “Interesseira” Alison

eu estacionei meu carro velho do lado de fora da casa da minha namorada. Um Porsche azul parado perto de mim, ALISON saiu dele assim que ele partiu.

            -“Meu chefe estava rindo, ele disse que é engraçado que todos os artistas curtam ter carros antigos”

ALISON trabalhava como jornalista para um canal de TV. Ela era maravilhosa, a câmera a amava, aparentemente como seu chefe…

ALISON agarrou minha bunda,
-“Venha para cama meu pobre artista faminto”

eu fui pra cama aborrecido. Nós fodemos longamente com todas as nossas forças. Eu nem estava muito afim; eu só queria provar meu valor na cama para compensar tudo que eu não podia comprar.

            -“Seb, todas as minhas amigas estão indo para uma viagem ao Brasil convidadas por seus namorados…”

            -“você sabe que eu não posso pagar isso agora, por favor, só espere um pouco, eu prometo que algum dia vou me dar bem”

ALISON não queria esperar. Aparentemente seu chefe também não.

 

Sapato4. “Arrasa Corações” Laura

-“Peitos de verdade ou silicone?” perguntou um amigo meu.
-“Silicone!” gritou um.
-“Peitos de verdade” disse o outro.
-“Ambos” eu sorri.
-“Certo, você não pode responder isso…”
-“Bom, eu namorei uma linda garota que tinha um de cada…” eu disse.

Uma explosão de gritos eclodiu, e seus cérebros pareciam explodir.

“-Quando ela era pequena um seio não se desenvolveu, então ela colocou silicone para aquele e deixou o outro normal…” Meus amigos congelaram em silêncio. Seus olhos abriram em admiração…

“-eu nem percebi no início porque eu sempre pegava o peito direito com minha mão direita e a bunda dela com a minha esquerda…Eu acho que ela estava surtando esperando a minha reação.”

“O melhor dos dois mundos” sussurrou um deles…

-“E?” todo mundo me encarou em silencio e expectativa.

“-E ela completamente partiu meu coração e agora está casada e com filhos” Eu disse tristemente…

“EEE???…” eles perguntaram novamente em coro…

“-Ok, ok, – E, eu meio que secretamente gostava do falso!”

 

Sapato5. “Rainha do Gelo” Sophie

Quando SOPHIE andou pela passarela eu me senti como uma criança que tinha recebido um Lamborghini no seu quarto de infância.

Ela era tão alta que deitando na cama eu realmente tinha que esticar meus braços pra agarrar seu bumbum.
A primeira vez que fizemos sexo ela ficou deitada parada sem se mexer.

Ela não disse uma palavra.

eu tentei muito merecer pelo menos na cama ser o homem que as pessoas claramente não pensavam que eu merecia ser quando eles nos viam juntos.

eu finalmente mereci meu lugar e consegui esquentá-la, mas ela nunca derreteu por muito tempo.

 

Sapato6. “Vadia Gostosa” Caroline

 “Uma cor tão legal Sr. Errazuriz” CAROLINE riu nervosamente, acariciando a gravata do meu pai no casamento do meu primo.
Deixa pra lá essa porra de gravata eu pensei; você não sabia que brincar com a gravata de um homem é como brincar com o seu pênis?

CAROLINE era uma gostosa em um vestido vermelho minúsculo, dançando como se ela estivesse pagando pelos seus estudos.
eu podia sentir os olhares desaprovadores das mulheres, mas eu focava na inveja dos homens.
Nós deixamos a mesa no meio do jantar para ir foder nos jardins.
Quando nós voltamos era como se nós carregássemos um sinal dizendo: Acabamos de foder! Os invejosos e os desaprovadores nos odiavam.

Desconfortável e envergonhado; nós bebemos até pararmos de ligar.
CAROLINE deu um showzinho e nós acabamos tropeçando, e caindo no meio da pista de dança.
Meu terno rasgou, o vestido dela perdeu uma alça e enquanto deitados no chão machucado, a multidão chegou perto de nós para nos envergonhar em revanche.

eu era um viciado em CAROLINE. Ela era viciada em atenção. Até onde eu sei CAROLINE me traiu e traiu todos os outros caras com os quais ela já esteve.
Mulheres chamavam-na A VADIA GOSTOSA.

Mas éramos nós, os homens, que éramos suas vadias.

 

Sapato7. “A Virgem” Anna

Quando nós paramos de foder eu disse a ANNA:
-“ahh, bom né?”

ela ligou o chuveiro e respondeu cética:
-“hm, é, eu não sei, primeira vez”

eu podia quase jurar que a ouvi rezando Ave Maria sobre o som do chuveiro.

A última vez que soube dela, Francisco me contou que ela estava pensando em se tornar uma freira Opus Dei…

eu tenho certeza que fui uma droga; mas uma freira?
isso é um pouco drástico

 

Sapato8. “Jetsetter” Jessica

JESSICA agarrou minha perna sob a mesa do restaurante. Ela estava gostosa.
– “Você sabe que meu pai tem um avião. Ele nunca realmente o usa” ela sussurrou.
Seu pai era um homem importante, tenho certeza que a família tinha vários aviões…

– “Eu te disse que nós temos uma casa vazia em Paris que poderia ser seu perfeito ateliê?”

Jessica voltou do banheiro e já pagou a conta.
-Seb eu perdi as chaves do meu apartamento, podemos ir para sua casa?”
…Mas vocês não são donos do prédio? tenho certeza que seu senhorio tem uma chave extra
eu fiquei quieto durante toda a corrida do táxi…

Quanto mais ela tentava me convencer da vida que nós teríamos juntos, menos gostosa ela ficava. Quando chegamos ao meu pequeno apartamento eu recuperei minha dignidade.
-“Me desculpe JESSICA eu não posso fazer sexo com você” eu deixei escapar me sentindo idiota.
-“Você pode dormir na minha cama, mas nada vai acontecer.”

JESSICA atacou no meio da noite. eu fingi estar dormindo e a ignorei.
Na manhã seguinte ela saiu e uma grande SUV preta a buscou.

 

Sapato9. “A Chefe” Rachel

era sempre estranho fazer sexo com a RACHEL.
eu nunca sabia quando eu tinha que dar ou tomar o poder.
era como brincar com uma bomba que você não sabia quando ia explodir.

ela era uma feminista extrema, mas na cama fingia ser uma garotinha e fazia voluntariamente stripetease para mim ou queria que eu desse palmadas nela. no dia seguinte, se eu trouxesse flores ela poderia me dar um longo sermão sobre como era machista trazer flores para uma garota.
você nunca sabia o que esperar.

Um dia ela surpreendentemente passeou usando meu último par de cuecas, eu fui forçado a decidir se eu queria usar suas calcinhas ou se eu poderia ir para casa buscar outras e escapar para a segurança.

foi a última vez que a vi, ela estava excessivamente sensual e sentimental. eu bati no seu bumbum brincando. Ela gemeu.

E então – erro meu – eu ligeiramente bati de novo. Ela me bateu tão forte que eu quase caí no chão.

 

SAPATO10. “GI JANE” Barbara*

O pai de BARBARA abriu a porta em seu uniforme militar.

            -“Boa noite senhor, estou aqui para pegar a BARBARA… “
O Coronel me encarou, enquanto eu remexia nervosamente as chaves do carro do meu pai. O Coronel tinha uma política severa de “Nada de garotos na casa”.
BARBARA sempre deu um jeito de contornar isso:
-“eu não estou usando nada por baixo da roupa” ela sussurrou entrando no meu carro;
-“i’m going Commando!” ela riu.*

As luzes de um carro da policia piscando iluminaram toda a colina onde estávamos nos escondendo. eu gritei para ela colocar suas roupas enquanto eu acelerava e limpava as janelas embaçadas do carro. Eu quase atropelei os policiais tentando escapar.
Para minha inocência, a SUV familiar do meu pai não era páreo para o carro da Polícia, que nos encurralou berrando para que parássemos.

eu fui tirado do carro nu enquanto apontavam uma metralhadora para mim. O policial encarou BARBARA minuciosamente, que desastradamente tentou cobrir seus seios com as mãos e implorou para eles olharem para o lado.

Ela eventualmente convenceu o policial a ligar para o pai dela, que rapidamente usou sua posição para evitar que fossemos presos.

Temendo o que seu pai assustadoramente perigoso poderia fazer comigo depois, eu decidi agir bravamente e me escondi dele por um tempo.

Ainda estou me escondendo…

*(referência ao filme Até o limite da honra, com Demi Moore, G.I. Jane no título original)

 

Sapato11. “O Fantasma” Valentina

VALENTINA era uma das garotas de uma pequena cidade a beira mar.
Ela era bonita de um jeito selvagem e estranho, quase como uma criança perdida que vive numa floresta.
Nós nos víamos todos os dias na praia, mas nenhum de nós jamais disse uma palavra.

Ela apareceu um dia aleatoriamente na frente da porta da minha cabana e passou a noite comigo. Foi quase elétrico.
Era difícil de acreditar, mas sempre que nós fazíamos sexo o cabelo de VALENTINA parecia ainda mais louco do que o normal. Como uma reação elétrica, ela sempre terminava parecendo como se ela tivesse colocado os dedos em uma tomada.

VALENTINA aparentemente gostava do jeito que o seu cabelo ficava depois do sexo, então ela continuou a me visitar naquele verão. eu nunca soube de onde ela vinha ou para onde tinha que ir depois. Ela simplesmente flutuava para dentro e para fora livremente com uma aura estranha que pode te fazer sentir que ela estava aqui com você, mas também em outro lugar. eu não podia dizer o quão longe.

À noite eu a seguraria apertado, tentando de alguma maneira mantê-la comigo.  No final do verão eu a fiz prometer que ela viria me visitar, mas ela nunca o fez.
eu voltei para a praia no verão seguinte procurando por ela; mas ela já havia sumido.

eu a vi um dia muitos anos depois. Ela parecia mais velha, mas tão selvagem e bela como sempre. Ela sorriu de volta enquanto segurava uma bonita criança bronzeada com o mesmo cabelo bagunçado.

eu a amava um pouco.

 

Sapato12. “A Rocha” Alice

ALICE sabia que nós ficaríamos juntos muito antes do que eu.

Ela também sabia que nós eventualmente terminaríamos, entretanto eu sempre quis acreditar o contrário.

Nenhum de nós dois sabia que seria tão rápido.

eu a amava muito.

Sempre amarei.

No site do designer, ainda existem imagens de outras séries bastante interessantes, vale o clique!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s