OBRA DE ARTE DA SEMANA: ‘Una tonelada de libros tirada sobre la Avenida de la Reforma’ de Aníbal López


Aníbal López ou A-153167, Una tonelada de libros tirada sobre la Avenida de la Reforma, performance, 2003.

Aníbal López, artista guatemalteco que assinava com o número de seu documento de identidade, A-153167, foi o pioneiro da performance de inspiração política, desconstruindo rituais e crenças da vida quotidiana. Na performance Una tonelada de libros tirada sobre la Avenida de la Reforma, que chega até os espectadores que não estiveram presentes na ocasião – a grande parte dos espectadores – através de imagens de vídeo, o que vemos é exatamente essa desconstrução através de um ato inesperado, que desorienta por um lapso de tempo a ordem estabelecida em um determinado espaço. Assim, o artista, com apoio da Prometeo Associazione per l’Arte Contemporanea, contratou um caminhão basculante para que despejasse sobre a Avenida de la Reforma, uma movimentada rua onde na Cidade da Guatemala, capital do país de mesmo nome, exatamente uma tonelada de livros adquiridos em sebos e lojas de usado no movimentado final de tarde. A intervenção claramente causou congestionamento e desorganizou o trânsito local, fazendo com que a polícia fosse até o lugar. A rua foi lentamente sendo desocupada à medida que os passantes/espectadores recolhiam os livros e os levavam embora.

López se inspirou nos trabalhos de Robert Smithson, que no final dos anos 60 saiu do ambiente fechado das galerias e realizou obras monumentais ao ar livre, nas quais despejou, por exemplo, um caminhão de asfalto em uma antiga pedreira (Asphalt Rundown), ou ainda concreto em um local de descarte de concreto (Concrete Pour), com a ordem dada por telefone, ou cola laranja em uma encosta (Glue Pour).

A ideia do artista era criticar a desigualdade de acesso à cultura em seu país, no qual somente 74 da população é alfabetizada. Apesar de, através da performance, os livros serem colocados à disposição de pessoas de qualquer classe social, é importante notar que a habilidade de ler e compreender o que se está lendo, ou seja, um conhecimento prévio e contato com a cultura, seria necessário para que essas pessoas pudessem usufruir plenamente dos livros.

Bibliografia:

Ted PURVES, Shane ASLAN SELZER, What We Want Is Free, Second Edition: Critical Exchanges in Recent Art, SUNY Press, 2014, p. 152.
Compre esse livro aqui.

“Aníbal López” in Bienal, [Online]. Consultado em 30/10/2018.
http://www.bienal.org.br/texto/5226

“Aníbal López” in Prometeo Gallery, [Online]. Consultado em 30/10/2018.
http://www.prometeogallery.com/en/artist/anbal-lpez-a-1-53167

“Aníbal López” in Random Institute, [Online]. Consultado em 30/10/2018.
http://randominstitute.org/event/anibal-lopez

 “Aníbal López” in Shiva Gallery, [Online]. Consultado em 30/10/2018.
http://shivagallery.org/portfolio/anibal-lopez/

“Rundown” in Robert Smithson, [Online]. Consultado em 30/10/2018.
https://www.robertsmithson.com/films/txt/rundown.html

Fontes das imagens:

http://www.prometeogallery.com/en/artist/anbal-lpez-a-1-53167

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s