Confira os destaques da SP-Arte 2018

A SP-Arte é uma das maiores feiras de arte moderna e contemporânea da América Latina e aconteceu no Pavilhão da Bienal no Ibirapuera, em São Paulo, de 11 a 15 de abril, com a presença de galerias e artistas nacionais e internacionais. Esse ano, a novidade é o espaço dedicado à arte da performance, no qual os artistas desafiam seus próprios limites e chegam ao extremo, realizando suas apresentações durante todos os dias da feira, do início ao fim de cada dia.


Performance Fitting Room

Confira uma seleção de obras de arte contemporânea apresentadas na exposição:


Destino
de Albano Afonso
Galeria Casa Triângulo (Stand K5)

A escultura-móbile de Afonso Albano traz a palavra “destino” em LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais – através das mãos do artista fundidas em bronze e uma imagem de sua cabeça flutuando entre elas. Como se trata de um móbile, as mãos se movimentam, embaralhando a palavra “destino”, remetendo assim à imprevisibilidade do destino e do futuro.


Vik Muniz
Nara Roesler Galeria

Vik Muniz, artista brasileiro famoso por compor imagens através da aglomeração e composição de materiais, apresenta nessa obra uma releitura do Abaporu de Tarsila do Amaral.


Série Nuptias de Rosângela Rennó
Galeria Vermelho

Rosângela Rennó é curiosamente uma fotógrafa que não fotografa. Ela cria imagens usando fotografias antigas e adicionando elementos sobre elas. Nessa série, ela mostra o ritual do casamento, comum a todas as culturas, em diversas épocas e locais.



Andrey Rossi
OMA galeria

Andrey Rossi se expressa através da criação de imagens que misturam a figura humana, o mítico e o real sobre suportes tão rústicos quanto uma lona de caminhão.


Heleno Bernardi
Galeria Janaina Torres

A poltrona coberta de glitter de Heleno Bernardi remete o glamour do Rio de Janeiro nos anos 40. O artista realizou o mesmo processo em sua intervenção no Cassino da Urca, que também se tornou dourado durante os meses anteriores à sua restauração, relembrando assim seus dias de glória. Posteriormente, todo o glitter foi misturado ao cimento necessário à renovação do local.


Tetê de Alencar
Andrea Rehder Arte Contemporânea

A artista brasileira que vive em Londres usou aqui um livro antigo, pequenos carrinhos e selos em cera para criar uma peça de beleza única.


Damien Hirst
White Cube

O famosíssimo artista inglês propõe um caleidoscópio de cores nessa pintura, na intenção de recolocar cor e vida no mundo. O efeito é criado através do ato de girar a tela após a aplicação da tinta, que desliza para as extremidades da superfície.


Gisela Motta e Leandro Lima
Galeria Vermelho

Nessa obra, Gisela Motta e Leandro Lima mostram imagens de nuvens em uma televisão que teve sua tela retirada. Assim, o efeito é totalmente diverso do que seria se a tela estivesse ali. O que vemos é algo que parece uma fumacinha misteriosa passando frente às luzes.


Janaina Mello Landini
Zipper Galeria

Na série Ciclotrama, à qual pertence essa obra, a artista desfaz gradativamente uma corda de nylon, prendendo-a tela com pregos. É interessante notar que o início da corda fica solto, ultrapassando os limites da tela, em uma relação entre continente e contido.


Cristina Ataíde
Andrea Rehder Arte Contemporânea

A obra da simpaticíssima artista portuguesa Cristina Ataíde pode ser somente parcialmente vista nessa imagem. Trata-se de uma imagem da skyline de São Paulo sobre um longo papel de 10 metros de comprimento. A artista já mostrou a obra em sua total magnitude junto à outra parecida, com a skyline de Lisboa, no Museu Afro Brasil.


Bosco Sodi
Luciana Brito Galeria

Além da cor, a textura dessa obra, que celebra a cor pura, é fantástica! O artista mistura o pigmento cru à serragem, polpa de madeira e cola para criar a textura do que lembra fenômenos geológicos, por exemplo, lava.


Simone Cupello
Central Galeria

Mostrada no espaço solo, no qual cada galeria apresenta trabalhos de somente um artista, essa obra foi criada usando fotografias antigas, com seu verso frente ao espectador. Podemos ver, por exemplo, datas, nomes e outras inscrições feitas à mão, provavelmente pelos antigos proprietários das imagens. A artista também brinca com a forma e o volume, criando uma protuberância no meio da obra.


Channing Hansen
Stephen Friedman Gallery

A tela nessa obra é formada por uma trama de lã tecida pelo próprio artista que se baseia em um algoritmo para determinar composição, unindo assim o feito à mão artesanal à tecnologia da computação avançada.


Jorge Mayet
Galeria Inox

Essa é uma das adoráveis arvorezinhas do artista cubano Jorge Mayet. Suas obras são repletas de lembranças e imagens de sua terra natal.


Hugo Mendes
Galeria Ybakatu

Nessa obra, Hugo Mendes apresenta o que parece uma obra de arte despedaçada, que desaparece aos poucos.


Alê Jordão
Galeria Choque Cultural

Alê Jordão, bastante influenciado pela arte urbana, cria esculturas usando neon que exploram o campo entre a arte e o design, a escultura e objeto funcional. Aqui, ele colocou o neon colorido dentro de bolas de vidro e metal.


Lourival Cuquinha
Amparo 60 Galeria de Arte

Nessa obra, o artista fotografou um vendedor ambulante, comprou o que ele vendia e em seguida imprimiu a fotografia, frente e verso, na quantia equivalente a sua compra em notas de um dólar.


Toz
Galeria Movimento

Bastante influenciado pelo grafite, nessa imensa tela o artista baiano representou várias mulheres lado a lado, em um fundo trabalhado com texturas usando massa corrida.

Talitha Rossi
Galeria Janaina Torres

A jovem artista Thalitta Rossi traz uma obra que remete às mães que perderam seus filhos, usando uma técnica bastante artesanal, que lembra o trabalho historicamente feminino de fiar, tecer e bordar. As formas da escultura lembram realmente o ventre materno.


Os Gemeos
Galeria Fortes d’Aloia e Gabriel

A Galeria Fortes D’Aloia e Gabriel propõe um espaço especialmente dedicado ao trabalho dos grafiteiros Os Gemeos, com cores vibrantes até mesmo nas paredes e no piso. As obras apresentadas são muito interessantes e mesclam pintura e aplicação de lantejoulas.


Nelson Leirner
Galeria Silvia Cintra

Nessa obra, Nelson Leirner representa um mapa-múndi com peças de quebra cabeça, usando lã para tecer a trama da composição.


Rafael Silveira e Flávia Itiberê
Galeria Choque Cultural

Nesse trabalho realizado em conjunto, um delicado bordado é apresentado entre dois vidros, destacando ao máximo a obra.


Gabriel Wickbold
Gabriel Wickbold Studio and Gallery

Na série Sexual Colors, da qual essa imagem de 2012 faz parte, o fotógrafo Gabriel Wickbold transforma corpos em telas, aplicando tinta e lantejoulas em seus modelos, brincando com cores e texturas. Esse queridinho do mundo da moda certamente não pode passar despercebido em sua visita!


Ian Davenport
Dan Galeria

Ian Davenport é conhecido por seu gosto pela experimentação. Em seus trabalhos mais recentes, ele aplica a tinta na tela com uma seringa, focando na cor e na sequência da cor. Nesse trabalho, o artista usou tinta acrílica sobre uma placa de aço inoxidável. Na última Bienal de Veneza, ele apresentou uma obra parecida, mas feita no local. Assim, a tinta escorria no piso, formando uma poça colorida.


Pazetto e Giuliano Scandiuzzi
Espaço da Vivo

Essa instalação criada em conjunto pelo diretor criativo Pazetto e pelo arquiteto e artista Giuliano Scandiuzzi, em parceria com a gigante da telefonia Vivo, é um dos trabalhos que mais chama atenção na feira. São telas de vários tamanhos, em diversos tipos de dispositivos, com muitas imagens. Pazetto é conhecido por criar grandes ambientes para eventos de diferentes gêneros, inclusive ligados à moda, por exemplo, para a Dior.


Menina 11
de Adriana Duque
Galeria Fernando Pradilla (Stand B6)

Adriana Duque é uma artista colombiana que cria imagens digitais inspiradas nas composições de pinturas e retratos tradicionais. Suas personagens frequentemente possuem uma aura misteriosa.


Jaques Faing
Arte Hall

Nas imagens da série Giracorpogira, Jaques Faing fotografou pessoas desfilando tanto no carnaval do Rio de Janeiro, quanto de São Paulo. Ele trabalha a fotografia como objeto escultura, colocando-as assim em caixas de aço galvanizado, e se inspira no movimento, na abstração e na fotografia como performance.


Andy Warhol
Galeria Houssein Jarouche

A Galeria Houseein Jarouche trouxe uma pequena amostra da arte de Andy Warhol e suas famosas latas de sopa Campbell. Essa é daquelas obras que sempre vemos em reproduções e imagens, mas poucas vezes pessoalmente. O artista retratava em suas obras objetos banais, prática típica do estilo Pop Art. Ainda na Galeria Houssein Jarouche, temos uma peça do icônico Banksy.


Roy Lichtenstein
Galeria Frente

Também representante do Pop Art, Roy Lichtenstein usava a estética dos quadrinhos para representar cenas e personagens. Essa serigrafia, exemplo de obra de arte massificada, mostra um típico interior americano da época.


Júlia Profeta
Universidade Belas Artes

A jovem artista Júlia Profeta criou essa instalação colocando ataduras sobre rostos de cerâmica. Alguns estão pendurados na parede, outros aparecem caídos e quebrados no chão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s