OBRA DE ARTE DA SEMANA: Caminhante sobre o mar de névoa de Caspar David Friedrich

Caspar David Friedrich, Caminhante sobre o mar de névoa, óleo sobre tela, 98,4 x 74,8 cm, 1817. Conservada na Hamburg Kunsthalle, Hamburgo, Alemanha. O Caminhante sobre o mar de névoa, por vezes conhecido como Viajante sobre o mar de névoa, ou … Continuar lendo OBRA DE ARTE DA SEMANA: Caminhante sobre o mar de névoa de Caspar David Friedrich

OBRAS INQUIETAS 20. “Os síndicos da guilda de ourives de Amsterdam” (1627), Thomas de Keyser

“Os síndicos da guilda de ourives de Amsterdam” (1627), Thomas de Keyser Estamos sendo observados. Mesmo que não conseguimos ver, eles estão lá. Não importa o local ou o tempo, sempre existe alguém a nos analisar, a medir nossos passos … Continuar lendo OBRAS INQUIETAS 20. “Os síndicos da guilda de ourives de Amsterdam” (1627), Thomas de Keyser

OBRA DE ARTE DA SEMANA: Dante e Virgílio de William Bouguereau

William-Adolphe Bouguereau (1825-1905), Dante e Virgílio, óleo sobre tela, 281x 225 cm, 1850. Conservada no Musée d’Orsay, Paris, França. A obra Dante e Virgílio de William Bouguereau nasce primordialmente dos sentimentos de raiva e frustração do artista ao ter suas … Continuar lendo OBRA DE ARTE DA SEMANA: Dante e Virgílio de William Bouguereau

OBRAS INQUIETAS 14. “Mulher chorando” (1937), Pablo Picasso

“Mulher chorando” (1937), Pablo Picasso Quantas lágrimas são necessárias para que um lamento se transforme em uma enxurrada? Não existe medida correta para algo virar dor ou tornar-se desespero. A mulher se preparou para uma festa: colocou seu melhor casaco, … Continuar lendo OBRAS INQUIETAS 14. “Mulher chorando” (1937), Pablo Picasso

OBRA DE ARTE DA SEMANA: A oposição dos sexos em “Marte e Réia Silvia” de Rubens

Rubens, Marte e Réia Sílvia, óleo sobre tela, 46 X 66 cm, 1616-17. Conservada no Lichtensteinmuseum, Viena, Áustria. « Desarmado, ainda sabes triunfar; estavas desarmado quando uma sacerdotisa [3,10] vos recebeu em seus braços, afim que Roma um dia adorasse em … Continuar lendo OBRA DE ARTE DA SEMANA: A oposição dos sexos em “Marte e Réia Silvia” de Rubens