VIVA LEONARDO DA VINCI: França celebra os 500 anos da Renascença no Vale do Loire

A região do vale do rio Loire é aquela que concentra o maior número de castelos em toda a Europa e a sua visita proporciona a possibilidade de ver construções de diversas épocas, desde os tempos medievais, passando pela Renascença, até o início do século XVII, sem perder muito tempo com locomoção. Alguns castelos são tão próximos uns dos outros que o turista pode até mesmo ir de um para o outro de bicicleta, passando por belos parques e florestas, outra característica que torna a região interessante. Além das bikes, há ônibus que fazem alguns percursos, e excursões saindo tanto de Tours, centro do turismo local, quanto de Paris – distante apenas 1 hora viajando de trem e entre 2 e 3 horas de carro. Ou seja, para quem vai ficar algum tempo em Paris ou já conhece a capital, o Vale do Loire é uma boa pedida para desfrutar os castelos, o verde,  os vinhos e a gastronomia local, símbolos do art de vivre francês. Inclusive, também, é possível visitar vinhedos e degustar dos excelentes produtos produzidos por lá.


Escadaria da Rainha no Castelo de Blois.

2019 será um ano especial, pois, além das atrações permanentes, comemoram-se os 500 anos da Renascença na região. O ano de 1519 foi escolhido como aquele que dá início ao Renascimento no local por três motivos: a colocação da primeira pedra de Chambord, um dos mais famosos castelos do Loire, renascentista por excelência; o nascimento de Catarina de Médicis, florentina que viria a se tornar rainha da França; e , finalmente, a morte do artista e gênio da época, Leonardo da Vinci. O artista italiano havia se mudado para a França a convite do rei François I, Francisco I, , onde permaneceu até sua morte no Castelo do Clos Lucé, localizado há apenas alguns metros do Castelo de Amboise, onde o monarca mantinha sua corte. Da Vinci levou na bagagem a famosíssima Mona Lisa e a terminou na França, sendo esse o motivo da pintura se encontrar hoje em solo francês, no Museu do Louvre.

Castelo de Chambord, construído por Francisco I.


A escada em espiral do Castelo de Chambord, que pode ter sido desenhada por Da Vinci.


Castelo do Clos Lucé, morada de Da Vinci.

Assim, no próximo ano, haverá em diversos castelos, museus e centros de cultura do Vale do Loire eventos sobre o artista e a Renascença, tais como, exposições temáticas e de arte contemporânea, criando assim uma ponte entre os dois períodos, espetáculos digitais, concertos, bailes renascentistas e muito mais.

 
Em julho e agosto, o Castelo de Azay-le-Rideau apresentará espetáculos noturnos de som e luz.


Atelier de Da Vinci no Castelo do Clos Lucé.


Recriação das máquinas visionárias desenhadas por Leonardo da Vinci no Castelo do Clos Lucé.


Recriação das máquinas visionárias desenhadas por Leonardo da Vinci no Castelo do Clos Lucé.


No Castelo do Clos Lucé acontecerá o Festival Europeu de Música Renascentista no mês de setembro.


A exposição da artista contemporânea polonesa Alicja Kwade acontecerá entre fevereiro e setembro de 2019 no Centro de Criação Contemporânea Olivier Debré.


Em julho, haverá a recriação de um baile renascentista da corte de Francisco I no Castelo de Amboise.


O Castelo de Amboise abrigará também a exposição da artista contemporânea Sheila Hicks.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s