OBRA DE ARTE DA SEMANA: As Vaidades de Philippe Pasqua

343
Philippe Pasqua, Vaidade, crânio, acrílico, folhas de ouro e borboletas sobre uma base de acrílico, 195 x 40 x 50 cm.

O autodidata francês Philippe Pasqua, hoje com seus cinquenta anos, se tornou conhecido no mercado da arte pelos seus retratos monumentais – daqueles que precisam de uma escadinha para pintar a parte de cima – extremamente expressivos e de grande qualidade técnica que contemplam a humanidade e suas emoções de maneira nua e crua.

ozartsetc_philippe-pasqua_peinture_11-e1324160974131

fa14ct4s

screen-shot-2010-11-09-at-2_26_48-pm

Porém, explorando literalmente mais fundo as profundezas humanas, o artista começou a representar crânios em pinturas e esculturas, algumas delas usando como base caveiras humanas de verdade. E é exatamente sobre uma dessas obras que falaremos hoje.

Escolhi essa especificamente, pois é uma das que usa um crânio real, tornando assim mais impactante seu significado, entretanto, todas as obras de beleza impactante e inquietante dessa série tem significados próximos. No exemplo escolhido, o crânio, como vários outros do artista, tanto os de osso, quanto os de resina, foi recoberto com folha de ouro e recebeu respingos de tinta vermelha, coroados pelas borboletas também reais.

A primeira vista, qualquer um pode identificar uma caveira com o tema da morte; entretanto, o significado da caveira, e consequentemente dessas obras, vai além. As vaidades – ou vanitas – e os memento mori foram amplamente explorados por diversos artistas, em muitos momentos através da História da arte. As primeiras são naturezas mortas com elementos que fazem alusão à passagem do tempo, a fragilidade da vida e a consequente aproximação da morte, inevitável a todos os seres humanos. Enquanto que a expressão memento mori significa algo como “lembre-se que um dia você vai morrer”, em latim, e é usada para designar obras que refletem sobre a morte e a efemeridade da existência. Nas criações de Pasqua, a referência às vaidades é clara, já que a maioria delas leva exatamente esse nome.

800px-adriaen_van_utrecht-_vanitas_-_still_life_with_bouquet_and_skull
Vanitas
de Adrien van Utrecht.
As flores significam a vida passageira, assim como os objetos de vidro, facilmente quebráveis. A caveira é uma direta alusão a morte; e a ampulheta e o relógio, ao tempo. O colar de pérola, a corrente de ouro e as moedas representam as riquezas efêmeras terrenas.

georges_de_la_tour_009
Maria Madalena
de Georges de La Tour.
Essa é uma das muitas versões da pintura, conservada no Metropolitan, em Nova Iorque, na qual Maria Madalena contempla sua beleza passageira no espelho à sua frente, enquanto segura um crânio humano, símbolo da morte inevitável – um dos famosos memento mori da História da arte.

As borboletas, frequentemente insetos de verdade nas esculturas, não estão presentes em todas as obras da prolífica série, mas nas quais elas pousam delicadamente nas caveiras, elas significam tanto a fragilidade da vida, quanto fazem referência ao mito grego de Eros e Psiquê. Nessa história, a belíssima mortal Psiquê perde o coração de seu amado, o deus Eros – ou Cupido, na versão latina – e depois de diversas difíceis tarefas consegue reconquistá-lo, tornando-se imortal e ascendendo ao Olimpo, morada dos deuses. Em grego antigo, a palavra Ψυχή – psyché – significa tanto « alma », quanto « borboleta ». Ou seja, o mito é uma alusão à transcendência da alma e à conquista da imortalidade após a vida terrena.

Segundo Pasqua, a superfícia polída e brilhante das caveiras podem se tornam invisíveis através de seu reflexo e também funcionar como verdadeiros espelhos, nos quais os espectadores contemplar a si mesmo e às suas inquietudes.

pasqua-crane-zupi4

1

2 3

thumb-pasqua-crane-zupi2
Exemplo em bronze.

17c51033d00fd584fa1cd3dd63bf5366

pasqua_blog02

philippe-pasqua-cra-ne-papillon-sculpture-1929
O gosto do artista por esculturas monumentais continua. Esse Crâne aux papillons – Crânio com borboletas – é um exemplo em mármore de Carrara que pesa 1,5 toneladas.

larger
Cinzeiro branco, 2016.
Pasqua também criou esculturas com caveiras dentro de cinzeiros, algumas delas também monumentais, em mármore ou bronze.

Fontes das imagens :

http://www.artcurial.com/en/index.asp

http://www.absoluteartgallery.com/fr/artist/45/philippe-pasqua

http://archeologue.over-blog.com/article-philippe-pasqua-crane-aux-papillons-et-autre-vanites-47163753.html

http://www.zupi.com.br/cranios-de-philippe-pasqua/

https://www.mutualart.com/Artwork/Crane—papillons/A5A91D6A21C59C00

https://www.artsy.net/artwork/philippe-pasqua-white-ashtray

http://david-pluskwa.com/philippe-pasqua/

http://catalogue.drouot.com/ref-drouot/lot-ventes-aux-encheres-drouot.jsp?id=2339239

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Adriaen_van_Utrecht-_Vanitas_-_Still_Life_with_Bouquet_and_Skull.JPG

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Georges_de_La_Tour_009.jpg

Anúncios

Um comentário sobre “OBRA DE ARTE DA SEMANA: As Vaidades de Philippe Pasqua

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s